27 de março de 2016

A sombra de uma cidade

Por José Carlos Sá

Há anos não ia a Costa Marques – a última vez que estive lá foi quando os madeireiros de São Francisco do Guaporé fecharam a BR-429 por causa da ação do Ibama (isso no século passado…) – e tinha uma lembrança de uma cidade limpa, organizada, de ruas largas e tranquilas. Fomos lá neste feriado e reencontrei as ruas largas e tranquilas, mas quanto à organização e limpeza…

Recentemente o prefeito Francisco “Chico Território ” Gonçalves Neto (PT) foi afastado a pedido do Ministério Público Estadual, por falta de prestação de contas relativas a 2014. A vice-prefeita, Mauricélia Aragão do Santos (PMDB), convocada ‘coercitivamente’ a tomar posse, renunciou na hora e a batata quente ficou para o presidente da Câmara dos Vereadores, Clebson “Cle” Gonçalves da Silva (PSDB), que assumiu dia 11 de março.

Assumiu em termos legais, por que a aparência da cidade é de que não tem dono. Veja as fotos

Prédio da Prefeitura

Prédio da Prefeitura

Prédio da Câmara Municipal, com esculturas de tracajás - será o símbolo da edilidade?

Prédio da Câmara Municipal, com esculturas de tracajás – será o símbolo da edilidade?

Costa Marques (10)

Praça ‘sem nome’ é tomada pelas ervas daninhas

Costa Marques (23)

Área do porto também está detonada

Uma moradora da comunidade do Forte disse que não há médicos no município e as pessoas buscam atendimento no Pelotão de Fronteira. Os médicos e dentistas do Exército atendem, mas os casos mais complexos são enviados a São Francisco do Guaporé, distante 110 quilômetros de Costa Marques.

Tags

Costa Marques MP PMDB PSDB PT Real Forte Príncipe da Beira Tracajá 

Compartilhar

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*