12 de novembro de 2014

A FONTE DO MAL

Por José Carlos Sá

Dizem que, após o decreto nº 58.501, de 25 de maio de 1966, que extinguiu um monte de ferrovia pelo Brasil, inclusive e principalmente, a Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, por serem deficitárias economicamente, foi o decreto n° 473, de 10 de março de 1992, assinado pelo presidente Fernando Collor de Mello é que fez esta bagunça no que restou da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré.

Ficou uma parte para a União, outra para o Estado de Rondônia, que depois foi subdividida com os municípios de Porto Velho e Guajará-Mirim. Como diz o adágio popular, “Cachorro que tem dois donos, passa fome”. E é o que acontece hoje.

Entre meus alfarrábios, encontrei uma cópia do tal decreto de 1992

Tags

EFMM Estado de Rondônia Governo Federal Guajará-Mirim Porto Velho União 

Compartilhar

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*