30 de abril de 2010

AINDA RESTA ESPERANÇA

Por José Carlos Sá

Sofro por antecipação quando tenho que ir a um banco – trabalho com os mais difíceis, BB e CEF. Hoje não foi diferente. Ao pedir a senha falei para o que era e a atendente entregou o papel com o número 161. Estavam chamando o número 57. Armei-me de resignação (não tenho paciência) e, para passar o tempo, fui ler os emeios no telefone. Li todos os 47, limpei a caixa de entrada, logo depois fui chamado.
– Quero pegar o meu cartão.
– Não é no caixa que o senhor pega o cartão…
(Ai, ai…) – A atendente foi quem me deu a senha.
– Em respeito ao tempo que o senhor esperou na fila, vou pedir ao meu colega para atender o senhor. Por favor me acompanhe.
(!!!)
No outro setor o funcionário parou o que estava fazendo e procurou o envelope com o meu nome, pediu para que eu conferisse, desbloqueou a senha e ainda pediu desculpas.
Alguma coisa de boa está acontecendo.

Tags

Atendimento Bancos CEF 

Compartilhar

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*