30 de abril de 2010

AINDA RESTA ESPERANÇA – 2

Por José Carlos Sá

Algumas coisas que observei na agência Madeira-Mamoré, da CEF. Equipamento “altamente internacional”, como diria o Jessier Quirino. As senhas, que era manuscritas em pedacinhos de papel, foram substituidas por equipamentos modernos. Havia dez box para os caixas e os dez ocupados e funcionando. O funcionário que “cantava” o número da senha da vez ao microfone, foi substituido por um monitor grande, onde a visualização é fácil. Os sinais sonoros quando a senha a chamada são diferentes para o atendimento comum e para o prioritário. Show de bola.
Mas vi também o golpe da criança. A mulher chegou com uma menininha no colo, pegou senha para atendimento prioritário, foi atendida e ainda, na frente do caixa, desceu a menina e a levou pela mão.

Tags

Atendimento CEF Jessier Quirino 

Compartilhar

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*