Onde se comenta o que foi e o que não foi notícia

27 de fevereiro de 2024

O trote

Por José Carlos Sá

O telefone tocava na madrugada e do outro lado perguntavam se sabia o que a mulher estava fazendo na ausência dele

25 de fevereiro de 2024

“…e Deus existe?”

Por José Carlos Sá

Fui acordado numa manhã de sábado e perguntado à queima-roupa foi se Deus existe!

24 de fevereiro de 2024

Vingança adiada

Por José Carlos Sá

Pensou na vingança de tudo que sofre, menos em um pequeno detalhe…

20 de fevereiro de 2024

Reminiscências

Por José Carlos Sá

Das primeiras notas vermelhas no boletim escolar você nunca esquece

19 de fevereiro de 2024

Hollywood me enganou

Por José Carlos Sá

Sempre acreditei – como um dogma – que os nativos norte-americanos se comunicavam através de sinais de fumaça…

16 de fevereiro de 2024

Justa causa

Por José Carlos Sá

Saiu de casa para matar o chefe, mas foi demitido antes

14 de fevereiro de 2024

Catrevagem no Brejão

Por José Carlos Sá

Uma mulher invadiu o campo de futebol, onde uma pasmacenta partida era disputada. Os torcedores não gostaram da agitação

11 de fevereiro de 2024

A síndrome de Vera

Por José Carlos Sá

Tive um pedaço de mim separado do corpo e nada mais resta a fazer

09 de fevereiro de 2024

O nome

Por José Carlos Sá

Começamos a escolher o nome do nosso filhjo, mas era alarme falso

08 de fevereiro de 2024

A viagem do porco

Por José Carlos Sá

Queria mandar um porco vivo para um parente em outra cida, por via aérea. Não consegui

07 de fevereiro de 2024

A mulher penhorada

Por José Carlos Sá

O cvara investiu na conquista da colega de trabalho. Foram para o motel e ele não tinha dinheiro para pagar a despesa. N unca mais se falaram

07 de fevereiro de 2024

Na fila do banco

Por José Carlos Sá

Uma mulher, na fila do banco, cismou que eu era parecido com o Chico Buarque de Holanda…

05 de fevereiro de 2024

Os acordes do despertar

Por José Carlos Sá

No meu amanhecer não havia os sons de todo dia novo, mas centenas, milhares de buzinas de padeiros tocando na minha cabeça

01 de fevereiro de 2024

(Anti)Pedagogia aplicada

Por José Carlos Sá

O menino não parava de tentar quebrar o galho da árvore, então lhe foi dito que podia ser o braço dele